fbpx
Cultura

Negroni: Tudo que você precisa saber sobre um clássico

Negroni: Tudo que você precisa saber sobre um clássico
Negroni: Tudo que você precisa saber sobre um clássico | Foto: Elements

Negroni é o segundo coquetel mais popular do mundo hoje, mas foi lá em 1919, no Caffè Casoni, em Firenze, que a pedido do Conde Camillo Negroni, frequentador habitual do local, foi concebida essa maravilha.

Contudo, a simplicidade encontra a criatividade nessa bebida, ainda bem famosa entre os jovens europeus durante o verão e composta de 3 ingredientes em partes iguais: Vermouth, Campari e Gin, acompanhados de bastante gelo e uma fatia de laranja. Entretanto, para chegar à sua atual composição, o drink foi evoluindo ao longo dos anos.

Então contaremos um pouco da história desse clássico, de onde ele surgiu, suas principais variações e é claro, como preparar todas elas!

O Avô: Milano-Torino

Antes de tudo, podemos afirmar que este é o avô do Negroni, nascido também no século 19. Basicamente esse é um drink feito de 2 partes iguais, sendo uma de Campari, que tem a sua origem em Milano e a outra parte de Punt e Mes, um vermute da região de Torino, com bastante gelo. Em suma, tipicamente italiano em sua preparação, as duas cidades dão nome e personalidade ao drink, que tinha, até aqui, somente dois elementos.

O Pai: Americano

O Milano-Torino virou um sucesso e passou a ser degustado não só por italianos, mas também pelos que visitavam o país. Assim, logo, logo, os turistas americanos se interessaram pelo drink, mas passaram a pedir para adicionar água com gás ao mesmo, para torná-lo mais refrescante.

O terceiro elemento surgiu, portanto, com essa preparação. Pronto, estava criado o Americano, no ano de 1860.

O Americano é a prova que nada se cria, tudo se transforma Lavoisier tinha toda razão, rs!

A forma clássica que permanece até hoje, para se preparar o Americano é uma medida de Campari, uma de Vermute e duas de água gaseificada.

O filho: Negroni

O aperfeiçoamento final veio com a contribuição de duas pessoas.

Diz a lenda que o Negroni como o conhecemos hoje foi criado pelo bartender Fosco Scarselli, a partir de uma ideia do Conde Negroni. O conde queria dar um Up ao seu até então coquetel favorito, o Americano. O nobre pediu, então, para trocar a água com gás por uma dose de gin, inspiração que vinha das suas últimas viagens à Londres.

No lugar da habitual fatia de limão, comum em diversos drinks, Scarselli deu o seu toque pessoal e colocou uma de laranja. A partir daí, as pessoas que iam ao Caffè Casoni, começaram a pedir um “Americano à moda Negroni”, nome que depois foi abreviado para Negroni, puro e simplesmente. O resto é história.

Versátil: Algumas variações do Negroni

A criatividade humana não tem limites, não é mesmo? A partir da receita clássica, desenvolveu-se uma infinidade surpreendente de drinks derivados. Algumas dessas variedades já estão nas cartas de drinks há um bom tempo, outras já são mais recentes e com certeza muitas outras ainda virão.

Veja alguns:

Negroni Sbagliato

Esse tem uma origem curiosa, parece até coisa da Lei de Murphy. O termo sbagliato, em italiano, significa errado. Isso porque foi por conta de um erro que essa versão foi criada nos anos 80 em Milano. Por lá, adicionaram prosecco no lugar do terceiro elemento e, pelo visto, acabaram por acertar no resultado final. A versão se tornou logo uma das queridinhas.

Contudo, por levar prosecco, normalmente, ele é servido em um copo um pouco mais longo. Seja como for, essa versão “secreta” é bem popular ainda nos dias de hoje. Vale a pena experimentar!

White Negroni

Nessa versão, altera-se um pouco a forma original por conta do toque francês na bebida.

Criado mais recentemente, já em 2001, podemos dizer que é um Negroni Pós-Modernista. Mantém-se o Gin. No bitter sai o Campari e entra o Suze. Em lugar do tradicional vermute rosso, coloca-se o franco Lillet Blanc. E no lugar da laranja, um limão siciliano. Voilà. Assim é produzido o White Negroni.

Negroski

Como o Negroni nasceu de uma homenagem à Inglaterra, podemos dizer que, se o Camillo Negroni tivesse ido à Rússia, esse seria o drink que conheceríamo como receita original hoje.

Nele, basta substituir o gin por vodka e está tudo certo.

Se ele tivesse sido criado na Bahia, com certeza se chamaria Negroni-roska.

Boulevardier

A princípio, a origem do nome desse drink, provavelmente, vem do seu criador, que era editor de um jornal americano chamado The Boulevardier.

A receita segue o mesmo principio de substituição do que já chamamos aqui de o terceiro elemento da bebida.

Dessa forma, para preparar-se um Boulevardier troca-se o gin por um bourbon whiskey.

Um clássico com personalidade

Em outras palavras, um drink centenário e quem tem todos os elementos para ser o que é, um clássico. Apreciado no mundo todo, o Negroni faz jus aos fãs que tem.

Pense que, em um bar, com 20 garrafas diferentes de gin, e 10 das de vermute e torna-se possível elaborar ínumeros Negronis únicos, ainda assim, respeitando a receita original. Então a idéia é descobrir a sua combinação perfeita. Experimente!

Matérias mais Recentes

Clube Muito Gourmet
Dicas & Promoções Exclusivas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cultura

Por que o café colombiano é tão famoso em todo o mundo?

Vale a pena ler também...